sábado, 4 de junho de 2011

"Revestir-se da armadura de Deus".


Revestir-se da armadura de Deus

I - INTRODUÇÃO

Vivemos em tempo de combate espiritual, há uma luta entre a luz e as trevas, os anjos rebeldes e os anjos do Senhor, e nesta luta somos atacados e atingidos.
"Pois não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal (espalhadas) nos ares". (Ef 6,12).

Somente quando travamos a batalha de fé é que seremos capazes de resistir aos ataques de satanás e os poderes das trevas.

Nesse ensino veremos as armadura pela qual nós devemos nos revestir para não sermos vencido pelo inimigo. Lembre-se, que não é contra homens de carne que temos que lutar, vivemos em um mundo espiritual, e neste mundo, você é um guerreiro, você esta sendo preparado para o combate, para a batalha.

Joel 4,9-10 – “Proclamai isto entre as nações: Declarai a guerra! Chamai os valentes! Aproximem-se, subam todos os guerreiros! Os vossos arados, transformai-os em espadas,e as vossas foices, em lanças! Mesmo o enfermo diga: Eu sou guerreiro!”

II – DESENVOLVIMENTO

Quando um soldado vai para a batalha, ele usa uma farda própria a armadura adequada. Os romanos vestiam uma armadura bastante pesada, mas que os defendia contra os ataques e a força do inimigo.

São Paulo fez uma analogia do soldado romano e os soldados do Senhor Jesus. Ele diz que precisamos estar revestido da armadura de Deus, todos os dias, para estar sempre preparados para enfrentar qualquer ataque do inimigo.

Não é uma opção pessoal, o combate é real, constante, diário, e para poder resistir a estes ataque e esta batalha, é necessário que estejamos de prontidão para combater o bom combate.

Em sua carta aos Efésios, ele usa uma comparação para que possamos refletir a respeito da maneira como devemos estar preparados e protegidos nesta batalha.
Efésios 6,10-20


Numa batalha é necessário termos estratégias e táticas para obtermos a vitória.
• precisamos conhecer as nossas forças e nossas fraquezas como também, conhecer com aquele que vamos combater.
• Como fazemos parte do exercito de Deus, não podemos ir para a Batalha sem proteção divina. O que precisamos é ter uma atitude de fé, e ter a certeza que seremos vitoriosos se fizermos o que o nosso General nos indicar, porque fazemos parte de um exercito de vencedores.
• - Como

Passos importante para o combate

 Precisamos discernir contra quem estamos lutando;
 Precisamos conhecer o poder inigualável do Exercito Divino;
 Termos um plano de combate?
 Não desperdiçar munição;
 Oração sem compromisso não vencem batalhas;
 Essa batalha não é para amadores;
 Lutar com a motivação correta;

Vejamos cada elemento componente desta armadura que São Paulo descreve:

Na bíblia Ave-Maria, esse texto vem com o título de Armadura do cristão, enquanto na bíblia de Jerusalém vem como Combate espiritual.

1º CINTURÃO DA VERDADE “Nos rins a verdade por cinturão” Ef 6,14

O cinturão que compõe a armadura do soldado romano é como uma faixa colocado na altura da cintura e é a única parte dela que passa atrás das costas envolvendo todo o corpo.

Mantém a armadura no lugar, firma a couraça e sustenta a espada, segurando toda a farda.

Os hebreus no tempo de Jesus, acreditavam que os rins eram a sede dos sentimentos. Portanto, cingir os rins com a verdade significa ter sentimentos verdadeiros e não falsos.
João 8,32. “conhecereis a verdade e a verdade vos livrará.”

- Ser verdadeiro no que falamos e no que vivemos.
- Quem não sabe lidar com a verdade em qualquer situação, está abrindo brecha para a entrada do inimigo

2º COURAÇA DA JUSTIÇA “com a couraça da justiça” Ef 6,14b

A couraça protege o peito do soldado. Ela é um componente da armadura, de couro ou de metal, destinada a proteger as costas e o peito (Colete a prova de balas), protegendo os órgãos vitais

A couraça do cristão é a justiça – E o que é?

É ser justo, é ter a virtude de dar a cada um aquilo que é seu, quer dizer: Retidão, conformidade com os princípios cristãos e com a Palavra de Deus.

CIC nº 1807 “A justiça é a virtude moral que consiste na vontade constante e firme de dar a Deus e ao próximo o que lhes é devido”
"De César, responderam-lhe. Disse-lhes então Jesus: Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus". (Mt 22,21)

ser justo é estar perfeitamente conformado com os planos de Deus, é colocar seus planos em primeiro lugar.

3º SANDÁLIAS DA PAZ “e como calçado nos pés. O ardor para anunciar o evangelho da paz” Ef 6,15

Na época de São Paulo não se usava calçados em casa – ao descrever a armadura do cristão quer nos dar o significado de estarmos de prontidão, preparados para o combate a qualquer hora.

Os pés não são propriamente órgão vital, mas devem estar cobertos e protegidos por bons sapatos.

Os soldados continham até peças de metal para não escorregar, para que ele tivesse o seu passo firme.

- Calçados os pés - significa para nós, no Ministério de Oração por Cura e Libertação, que estamos vivemos este combate.
• Ao sair e enfrentar o inimigo no exercício do ministério;
• Ir buscar a reconciliação com Deus para si e fazer que os irmãos também a busquem;
• Sair para reatar relacionamento rompido com quaisquer pessoas e orientar os irmãos para que façam o mesmo.

4º ESCUDO DA FÉ “ tomai, sobretudo o escudo da fé, com que possais apagar todos os dardos inflamados do maligno” Ef 6,16

O escudo é uma arma defensiva para proteger dos golpes de espada ou de lança.

Usado pelo soldado romano, era grande e quase da sua altura; feito de ferro coberto de couro e precisava estar molhado para apagar as flechas incendiarias lançadas pelo inimigo.

Nesta comparação Paulo ressalta que nossa fé deve ser o escudo que nos protege contra os dardos inflamados do maligno.

A fé é crer em Deus e nas verdades reveladas, é um dom de Deus, uma virtude sobrenatural infundida por Ele.
o CIC nº 15 diz que “devemos alimentar e guardar com prudência e vigilância a nossa fé e rejeitar tudo o que se lhe opõe”

O escudo da fé nos guarda da tentação, da contaminação ou até mesmo da infestação diabólica.

5º CAPACETE DA SALVAÇÃO “recebei, enfim o capacete da salvação...” Ef 6,17

Todo soldado usava o cimo, uma espécie de capacete para proteger a cabeça. Antigamente ele trazia a insígnia do batalhão a que o soldado pertencia.

O capacete serve como proteção do cérebro que comando todo o corpo

- Nós cristãos devemos não apenas proteger a cabeça, mas principalmente nossa mente dos pensamentos racionalistas, das dúvidas, dos medos.

6º A ESPADA DO ESPÍRITO “tomai, enfim, a espada do Espírito, isto é, a Palavra de Deus” Ef 6,17

A espada é uma arma ofensiva para atacar o inimigo, formada de uma lâmina comprida pontiaguda, de um ou dois gumes

- Paulo nos ensina que é o próprio espírito santo que põe em nossas mãos esta arma de ataque. – A Palavra de Deus –
Hb 4,12 - "Porque a palavra de Deus é viva, eficaz, mais penetrante do que uma espada de dois gumes e atinge até a divisão da alma e do corpo, das juntas e medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração".
2 Tm 3,16 - "Toda a Escritura é inspirada por Deus, e útil para ensinar, para repreender, para corrigir e para formar na justiça".

III – CONCLUSÃO

Somos exortados a nos revestirmos da Armadura de Deus e entrarmos em combate contra as forças do mal.

É importante assumir o posto que o senhor nos colocou. Somos soldados, ele é o nosso general. Fazemos parte de um exercito, e este exército está em combate, está em ordem de batalha. Se estivermos revestidos e de prontidão, a vitória é certa porque Ele nos deu autoridade e poder: "Eis que vos dei poder para pisar serpentes, escorpiões e todo o poder do inimigo". (Lc 10,19).

Diácono Luiz Gonzaga

diaconoluizgonzaga@gmail.com
diaconoluizgonzaga.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário