segunda-feira, 10 de maio de 2010

O MEDO DE SENTIR MEDO


O MEDO DE SENTIR MEDO
Psicóloga Lúcia Abreu

Tenho recebido diversos e-mails de pessoas pedindo ajuda por estarem vivenciando situações de medo. No consultório, recebo pessoas que relatam situações onde fica bem claro que, estão com medo de sentir medo.
O medo é uma reação saudável e protetora do ser humano. O medo “normal” vem de estímulos reais de ameaça à vida. A cada situação nova inesperada que representa um perigo, surge o medo. Mas e quando tudo tem causado medo e não conseguimos agir? Todo mundo teme algo – assaltos, aviões, doenças, solidão, entre outras coisas. A intensidade do medo é intensificada pelo histórico de vida de cada um. Por tanto, diante de nossos pavores, só nos resta duas alternativas: lutar ou fugir.
Em princípio, lutar pode ser uma reação positiva. Isso não quer dizer que fugir seja uma reação negativa. Tudo depende da situação e é preciso reconhecer os próprios limites. Quando há uma situação de ameaça real a sua vida, o medo não é uma reação patológica, mas de proteção e auto preservação.
O mesmo não acontece quando estamos sob domínio do pânico e o medo passa a tomar conta de nossa consciência. Quando em pânico, a pessoa nem foge nem enfrenta, mas fica paralisada e sem controle. Nesses casos deve-se buscar a sua origem para conseguir agir.
Situações reais de perigo exigem discernimento, mas o medo irracional, sem causa real, deve ser enfrentado. Nosso inconsciente não diferencia fantasia de realidade. Por isso, ficar pensando em todas as vezes que não conseguiu, ou ainda, que nem adianta começar, baseando-se nas experiências anteriores negativas, fará com que sua mente reaja de acordo com esse pensamento, pois o medo nasce da associação que nossa mente estabelece com essas experiências, sem discernir que não ocorrerão mais. Sua mente não sabe distinguir o que é passado e presente, realidade e fantasia. E se esse seu pensamento continuar presente, sua mente irá acreditar nele como real.
Além dos perigos iminentes e reais, nossos temores podem aparecer por causa das associações que fazemos ao longo da vida. Por exemplo: uma criança que teve sua casa destruída durante uma tempestade pode sertir-se ameaçada por uma tragédia toda vez que chover intensamente. Querendo ou não, sua mente fará essa relação. Quando alguém diz que não consegue, que vai desistir, porque sabe que não irá conseguir, geralmente são pessoas que estão com a auto-estima muito baixa e que se amam muito pouco ou não se sentem capazes de cuidar de si mesmas. Querem formulas mágicas, resultados imediatos. Querem o impossível, pois assim fica mais fácil justificarem para si mesma que irão desistir por medo.
Procure descobrir o que o medo simboliza para você, o que ele representa, pois, quanto mais o negarmos, mais poderoso ele se torna. Explore seu medo, descubra o que está por trás dele. Se tiver dificuldade para fazer isto, procure ajuda profissional. A pessoa mais prejudicada nesse processo todo é você mesma. Por isso arregace a manga e trabalhe contra tudo isso, sem pensar em desistir. Afinal ou o medo controla você ou você o controla. Qual você prefere?

2 comentários:

  1. Olá! gostei do texto realmente o medo hoje em dia parece fazer parte das nossas mentes,é preciso renuciar tais pensamentos,já me peguei sentindo medo de sentir medo!puxa não é nada bom.Fica na Paz do Senhor!!!!

    ResponderExcluir
  2. Meu irmão, Parabéns pelo Blog! Caminharemos juntos nessa evangelização da juventude!Siga-nos e seja nosso parceiro também la no \O Ser Profeta das Nações!! ::: http://blog.dyegocarletti.net/

    ResponderExcluir